quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Carros Pickup 4x4 e sua introdução no mercado como carro de luxo

O mercado de picapes ferveu em 2012, quase simultaneamente, as best-sellers S10 e Ranger chegaram em nova geração, fazendo companhia para a Amarok, lançada em 2010. 




Além do projeto indiscutivelmente mais moderno que o das veteranas L200, Frontier e Hilux, o trio das picapes high-tech traz versões luxuosas, com direito a câmbio automático, motor de alta performance, ampla lista de equipamentos e vários dispositivos que as transformam em verdadeiras limusines mesmo quando o chão que pisam é de pedra, terra ou lama.



De acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), as pick-ups pequenas tiveram um crescimento de 20,6% em relação a 2012, e o segmento de picapes médias/grandes registrou um expressivo crescimento de vendas. Foram 15.716 unidades, nada menos que 64% a mais do que em 2012. E pouco mais de 16% em relação a março do ano passado, com 13.516 unidades. 


É bom quando a gente quer comprar alguma coisa e o mercado oferece uma ampla gama de produtos para que possamos escolher entre os melhores. Essa é a sensação de quem pensa em comprar ou trocar de picape no Brasil. O segmento passa por uma renovação completa, com modelos atualizados e cheios de novidades.



Nos últimos seis meses, praticamente todas as marcas apresentaram alguma mudança em sua linha ou a chegada de novas gerações. O Vrum/Diario de Pernambuco fez um apurado dos principais modelos que disputam a sua preferência, apresentando os preços sugeridos, os prós e os contras de cada um. E vale lembrar que a nova Ford Ranger está chegando agora em junho. Será mais uma opção no mercado.



Algumas Opções:



Chevrolet S10



Preços:



R$ 58.868

(cabine simples, câmbio manual, tração 4x2 e motor flex)


R$ 135.250
(cabine dupla, câmbio automático, tração 4x4 e motor diesel)

Líder há 16 anos no mercado brasileiro, a Chevrolet S10 passou por uma mudança geral. Ela
ganhou mais força com o motor 2.8 turbodiesel, porém manteve o funcional 2.4 flex para versões mais baratas. O acabamento interior ganhou acabamento e conforto de sedã.

Positivo - Renovada, a S10 se destaca pela ampla linha, que oferece modelos com preços abaixo dos concorrentes.

Negativo - Apesar de atual, muitas pessoas não gostam do estilo "bocão" das frente dos novos modelos da GM.

Preços:

Toyota Hilux
R$ 80.160
(cabine simples, manual, 4x4 e diesel)

R$ 141.920
(cabine dupla, automática, 4x4 e diesel)

Disputando de perto a ponta do segmento de picapes médias com a S10, a Hilux passou apenas por um facelift no final de 2011. A principal novidade é o motor flex, que chegou no início deste ano. O propulsor 2.7 litros desenvolve 163cv com etanol e 158cv com gasolina.

Positivo - Hilux segue com status de picape forte conquistado pela marca japonesa, tornando-a boa de revenda.

Negativo - Apesar de ser considerada a mais bela, design da Hilux está envelhecido e em breve deve passar por uma mudança.

Preços: 

R$ 80.990
(cabine simples, manual, 4x2 e diesel)

R$ 135.990
(cabine dupla, automática, 4x4 e diesel)

Em dois anos de mercado, a Amarok nunca figurou entre as mais vendidas e muitos apontavam como motivo a falta de um câmbio automático. Essa questão foi resolvida neste ano com o lançamento da versão topo de linha com a transmissão automática de oito velocidades.

Positivo - Câmbio de oito velocidades é disparado o melhor entre as picapes e o visual robusto também agrada.

Negativo - Disponibilidade da transmissão automática apenas na versão top restringe a opção para poucos.

Preços:

R$ 90.990
(cabine dupla, manual, 4x4 e diesel)

R$ 125.990
(cabine dupla, automática, 4x4 e diesel)

A L200 também não apresentou mudanças no design. A novidade da linha 2012 é a oferta das versões GLS, GLX e GL. A picape da Mitsubishi sai apenas com cabine dupla e tração 4x2, 4x4 e reduzida. O motor pode ser o 3.5 V6 Flex de 205 cv ou o 3.2 litros a diesel de 170 cv.

Positivo - O DNA off road é sem dúvida o maior mérito desta picape japonesa, que adora lama.

Negativo - Por só vender picape cabine dupla, a L200 se distancia das rivais com preço de partida muito elevado.

Mercado de Carros Tunados vem Crescendo no Brasil


A Procura por carros Exclusivos vem fazendo a diferença no mercado de automóveis no país



Os Carros Tunados ou tuning juntamente com a fabricação de acessórios e equipamentos tuning são responsáveis por um grande movimento financeiro no mercado automobilístico, tanto que as montadoras vem investindo neste segmento e oferecendo aos proprietários de carros que curtem carros tunados acessórios e equipamentos cada vez mais modernos e mais adaptados as tendências do tuning.



Desde velozes e Furiosos o mercado de Carros Tunados vem crescendo em todo o planeta e não será diferente no Brasil.  Fabricantes procuram a todo momento equipar seus lançamentos para se adequar às novas tendências, para tornarem seus veículos mais atraentes para uma mercado cada vez mais exigente por exclusividade. Ver artigo

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Carros e Clubes de Opaleiros mantém viva a tradição do velho Opala


Conheça um pouco da história de um dos carros mais tradicionais do país e confira a nossa lista de opaleiros espalhados pelo Brasil


O Opala foi produzido de abril de 1968 a abril de 1992, durante 24 anos e sendo produzidas exatas e precisas 1.000.000 de unidades. No dia 16 de abril de 1992, deixou a linha de montagem o Opala de número 1 milhão. Na ocasião, numa grande solenidade, despediu-se do seu público, para sempre. Foi o último exemplar produzido, representando o fim de uma Era.



Aperfeiçoado em regulares e frequentes intervalos de tempo, o Opala refletiu o próprio desenvolvimento da indústria automobilística no Brasil. A milionésima (e última) unidade fabricada, um Diplomata vermelho perolizado com estofamento em couro, está sendo preservado para a posteridade pela GMB, devendo compor o acervo do Museu da empresa. Ver artigo

Carros e Curiosidades sobre importados

Carros importados: Superesportivo será leiloado nos EUA 


O Camaro GS Racecar concept, construído pela Riley Technologies com o suporte da GM High Performance, será leiloado nos EUA pela Mecum Auctions em agosto.Colecionadores do mundo inteiro poderão dar seus lances via internet ou de forma presencial no evento que será realizado em Monterrey.


Exclusivo, o Camaro GS Racecar foi desenvolvido e homologado para participar do Grand AM Koni Challenge e tem a pintura azul usada no carro vencedor de Mark Donohue que venceu a categoria em 1969. O carro tem mecânica V8 preparada além toda a carroceira feita em fibra de carbono, escapamento totalmente redimensionado, além de todo conjunto redimensionado para um carro de corrida. 



Aerofólio, rodas e pneus especiais e outros itens caracterizam este carro que é um dos Chevrolet mais especiais do mundo. Os lances iniciais começam em US$ 100 mil. Se você gosta de veículos clássicos especiais, pode participar de leilões realizados nos EUA e contar com o suporte da Direct Imports para realizar seu sonho com toda a segurança e o menor custo de frete do Brasil. Entre em contato conosco e consulte as condições. Ver artigo

Feira de compra e venda de veículos e eventos pelo Brasil


O Feirão de carros  acontece pelo país inteiro a fim de mostrar para as pessoas que os carros usados também podem ser um grande negocio. O que você precisa fazer sempre é pesquisar muito bem antes de comprar qualquer automóvel usado para que não se arrependa depois de o  já ter comprado .



Assim as pessoas que gostam e querem comprar carros usados ou semi-novos a opção é ira a um feirão de veículos.  Em BH o feirão acontece no estacionamento do Mineirão, em SP na Marginal do Tietê, ao lado do Playcenter , no Rio, vitória e demais cidades, o feirão irá acontecer nos pátios das concessionárias ou nas revendedoras. Ver artigo

As vantagens de ter o carros assegurado e os cuidados


A maioria das pessoas fica cheia de dúvidas na hora de contratar um seguro de carro. Mesmo que os primeiros argumentos que vem à cabeça são sempre os pontos positivos, já que com ele sentimos uma segurança maior de andar nas ruas das grandes cidades.


Hoje em dia existem três formas de contratar um seguro. A presencial, online ou pelo telefone.



Mas antes de contratar um seguro, fique atento!



Em primeiro lugar, antes de assinar o contrato, o cliente deverá avaliar os produtos das diferentes seguradoras para conhecer qual é a que melhor atende a suas necessidades. É importante que você faça contato com uma corretora conhecida e que esteja devidamente habilitada e registrada. O interessado pode pedir cotações nas diversas empresas para comparar os preços porque o valor pode variar de uma para outra, mas nem sempre o produto mais barato vai ser o melhor. Por isso, deverá informar-se sobre os custos  do serviço que são oferecidos e as coberturas que este inclui. Por outro lado, também é necessário verificar algumas questões, como a franquia (valor de sua responsabilidade em caso de sinistro), quais são os equipamentos de seu veículo que poderiam precisar de segurança, e se esta sendo contratada a cobertura de Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos.  Sempre escolha os benefícios que realmente vai precisar, para não pagar valores adicionais desnecessários. Ver artigo

Carros com Suspensão Esportiva: Como rebaixar seu carro dentro da Lei?


Rebaixar o carro é uma arte, mas a lei permite apenas molas alteradas que tenham sido devidamente certificadas.
Molas esportivas, por definição, é a , mola produzida especialmente para quem deseja rebaixar seu carro (+- 5cm).  São molas que mantém a constante elástica da mola original, ou seja, a taxa de compressão da mola é a mesma da original . As Únicas diferenças é que elas são menores e com o número de elos (dependendo da marca) diferentes.
Ver artigo

                                                                                 

Carros de época e tendência do Mercado

Ao contrário do que muita gente acredita, o mercado de veículos de época é bastente promissor e cresce a níveis vistos por todos os cantos do país



O termo antigomobilista surgiu para identificar aqueles que apreciam e possuem carros antigos. Geralmente são avessos a conjugar verbos como vender, trocar ou negociar, quando se trata de objetos de sua paixão. Mas existe uma pequena classe diferenciada entre os apaixonados. São aqueles que curtem mais o processo da restauração que o próprio carro pronto. Tão logo terminam a renovação, já encaram o próximo projeto de ressurreição. "Normalmente, fico com o carro restaurado no máximo um mês e já vendo para comprar outro e começar tudo outra vez", diz o empresário Marcelo Bonfogo, conhecido como Zero. Com 22 modelos revitalizados no "currículo", Zero se especializou em modelos das décadas de 60 e 70, com atenção especial para a marca Dodge. Ver artigo




A importância da marca dos carros na hora da compra ou revenda

Antes de comprar um carro, muitos se perguntam: “Quanto esse carro vai se desvalorizar?” ou “Será que é fácil revender esse carro?”. O fato é que qualquer carro, zero km ou não, se desvaloriza no mercado de ano em ano e, no caso dos veículos zero km, essa desvalorização ocorre assim que o mesmo é retirado da concessionária. 



O automóvel nunca pode até ser considerado um investimento, visto que ele dificilmente vai se valorizar, a não ser os casos em que alguém que ganha com compra e venda de veículos. Para qualquer família, o carro deve ser considerado apenas um patrimônio e, por esse motivo, é muito importante verificar o valor de revenda de cada modelo levando em conta a taxa de desvalorização anual.



Segundo as últimas pesquisas de mercado uma das Marcas mais valorizadas é sem dúvida a FIAT.  Em uma pesquisa divulgada pela Agência autoinforme em 2012, dos carros menos desvalorizados, a Marca italiana cravou  6 modelos entre os 10 primeiros.



Outro estudo indica que o Uno Evo Way 1.0 8v de quatro portas é o carro com maior valor de revenda do mercado brasileiro.


O carro de entrada da Fiat, que em junho do ano passado foi vendido por R$ 28.300,00, está avaliado hoje em R$ 26.400,00. Perdeu, portanto, apenas 6,7% do seu preço nos últimos doze meses.

Esta foi a menor depreciação dos últimos anos, período em que o Celta, da GM, foi o menos depreciado.  Desta vez o modelo da Chevrolet ficou em segundo lugar na lista dos carros com o maior valor de revenda do mercado.

O preço considerado no estudo é o Preço de Verdade, isto é: o preço realmente praticado no mercado, e não o preço de tabela. Por isso a pesquisa detecta também os eventuais bônus oferecidos pelas montadoras, o que muda o preço do carro em determinadas épocas do ano.

A Associação proteste divulgou uma pesquisa de opinião apontando as marcas de carros mais confiáveis do mercado. A Pesquisa identificou as marcas e os modelos dos veículos que menos fazem visitas às oficinas, e gastam menos tempo e dinheiro de seus donos. 
Segundo a pesquisa as 9 melhores Marcas são:

1- Honda
2- Toyota
3- Citroën
4- Peugeot
5- Renaut
6- Ford
7- Chevrolet
8- Fiat
9- Volkswagen

O Curioso da pesquisa realizada pela proteste é a baixa colocação das Marcas mais tradicionais como Ford, Chevrolet, Fiat e Volkswagem.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Os Melhores jogos de carros da Internet


Guia indispensável para quem é fã de Automobilismo e gosta de jogos de carros




Os jogos de velocidade proporcionam às pessoas momentos de diversão, descargas de adrenalina e podem reproduzir fielmente ações do dia-dia em frente ao volante sem sair de casa e quando você quiser. Além destes atrativos existem centenas de jogos on line que podem ser jogados gratuitamente através da internet.



Jogos de carros



Os jogos de carros  são um dos mais procurados nas lan houses de todo o país, muitas vezes a paixão por jogos jogos de carros vem de filmes como Velozes e Furiosos. A Maioria dos meninos  já tem paixão por carros devido a seus brinquedos, em sua maioria carros de corrida. Joguinhos de carros são facilmente encontrados em sites que possuem jogos infantis, ou especializados em jogos on line.


Sites com jogos de carros


Na internet existem  ótimos sites  onde você encontra uma variedade de jogos de carros onde é possível se divertir por varias horas, um desses sites é o ClickJogos,  um site do Uol onde você encontra uma verdadeira variedade de jogos divididos por faixas etárias. O JogueAki, do portal IG,  também é um site bacana com grande variedade de jogos . Os jogos são de vários estilos, alguns  são de arrancadas de carros, outros de corridas, para estacionar os carros, entre outros.

Jogos gratuitos


Os sites citados a cima são gratuitos, você pode usufruir do conteúdo disponível sem ter que pagar nada e pode ficar online no site quanto tempo você precisar. Navegando nas diversas paginas de jogos de carros você irá encontrar uma imensa variedade dos melhores jogos de carro do mercado, todos adaptados para seu pc, notebook ou mídia que suporte o sistema.

Listamos abaixo os 10 melhores  jogos de carros para se jogar no PC ou em sites de jogos on line:
10. Test Drive Unlimited 2
9. Need for Speed: The Run
8. Gran Turismo 5
7. Need for Speed Shift 2: Unleashed
6. Trackmania 2 Canyon
5. F1 2012
4. Burnout Paradise
3. MotorStorm: Apocalypse
2. Forza Motorsport 4
1. DiRT 3

sábado, 24 de agosto de 2013

Venda de carros de luxo a taxas Zero cresce no Brasil

A carteira de carros de luxo cresceu a uma média de 30% nos últimos três anos.

O que há alguns anos era uma realidade somente para o mercado de carros populares já é termo obrigatório nas concessionárias de carros de luxo. A redução na taxa básica de juros nos últimos anos somada a uma maior oferta de mercado, tornou mais atrativo o financiamento para marcas de luxo como Audi e Land Rover.

Taxa zero, alongamento de prazos para 60 meses, entrada facilitada e carência para pagamento de parcelas agora é realidade em bancos e concessionárias de carros de luxo.  Atualmente o percentual de vendas financiadas de carros de luxo ultrapassa 50% do total. 

Compradores interessados na compra de carros de luxo  geralmente usam o crédito para migrar um degrau mais alto do luxo.  Um Toyota Corolla, que custa cerca de R$ 60 mil, pode ser porta de entrada para a compra de uma BMW que chega a custar mais de R$ 90 mil.

Fabricantes de carros de luxo buscam se adequar a este mercado e começam a criar alternativas para o financiamento de seus modelos top de linha. A Audi,
Jaguar e tantas outras possuem como braços de financiamentos grandes bancos nacionais.  Um dos principais a atuar neste seguimento é o Banco Alfa.  No Citibank, 20% das concessões de crédito automotivo são realizadas para veículos com preço acima de R$ 100 mil, a maior parte delas na faixa até R$ 150 mil. "Nós liberamos até 90% do valor do veículo em até 60 vezes, sem limite máximo de valor para o financiamento, que está condicionado à capacidade de pagamento do cliente", explica Gilberto Marmol, gerente regional de vendas da Credicard Financiamentos, empresa do Grupo Citi.

A Jaguar iniciou suas operações de crédito oferecendo dois modelos de luxo no valor de R$ 300 mil à taxa zero. A volvo estuda a criação de uma financeira própria. A estratégia é reverter um quadro de desaceleração nas vendas e nem sempre significa que não haverá custo de crédito, mas serve para atrair clientes. 

11 dicas de como valorizar seu carro na hora da venda

11 dicas de como valorizar seu carro na hora da venda



O Momento da venda de um veículo é sempre um sofrimento, principalmente se o carro em questão já faz parte da família há certo tempo.  O Problema em questão é que grande parte  dos potenciais compradores estão sempre dispostos a tudo para desvalorizar seu carro. 

Preparamos algumas dicas importantes para que você possa fazer uma boa venda sem precisar desvalorizar o seu bem.



1- Mantenha seu carro bem conservado,  você não vai conseguir um bom preço por uma lata-velha.

2- Caso seu carro deve parecer original, portanto retire todas as películas adesivas que estiverem sobre seu veículo. Retire da carroceria mesmo que seja da cor do carro e todos os adesivos, sejam quais forem.

3- Se tiver feito  customizações no carro, recomendamos  retirá-las. Rodas grandes, engates e acessórios dificultam o repasse do carro no mercado de usados. Este procedimento facilita a venda do veículo mais rapidamente e por um valor melhor.  

4- Seu carro é seminovo e está prestes a mudar? Neste caso venda-o antes que ele seja reestilizado ou saia de linha. Quanto mais defasado em relação à versão zero-quilômetro, menos um veículo usado vale

5- Deixe seu estofamento me boas condições, principalmente se forem bancos de couro. O estado do interior do veículo diz muito sobre suas condições. Se o tecido do banco estiver ressecado, ele pode prejudicar a valorização do automóvel no mercado.

6- Antes de vender, faça reparos de grandes danos no veículo, como amassados e peças quebradas. Mas não tente apagar riscos pequenos, já que muitas lojas possuem parcerias com funilarias e conseguem consertar pequenos danos pagando menos do que o consumidor comum.

7- Faça todas as revisões obrigatórias nas concessionárias caso seu veículo ainda esteja no período de garantia. A presença dos carimbos das revisões no manual de instruções (além da própria presença do livreto e da chave reserva) diferenciam para melhor o automóvel na hora da revenda.

8- Não importa qual seja a idade do seu carro, guarde todos os comprovantes das manutenções feitas. Quanto mais documentada for a vida do automóvel, mais segurança o comprador terá, o que valoriza o veículo no mercado de usados.

9- Se o seu carro for uma versão de entrada "pelada", ou seja, sem equipamentos, pode valer a pena adicionar acessórios originais ao veículo. Itens como vidros e travas elétricas facilitam a venda de um usado em um mar de modelos que nem sempre contam com tais equipamentos.
10- Se você comprou o carro zero-quilômetro e quer perder pouco dinheiro na hora de trocá-lo, venda seu veículo antes do término da garantia. Atualmente, há modelos com cinco anos de proteção, como o Hyundai HB20.

11-De posse destas dicas seu veículo você certamente conseguirá um melhor valor de revenda de seu carro no mercado e transformar a venda de um martírio para um processo rápido e fácil.

Leia também: Dicas preciosas na hora de comprar um carro usado

Curiosidades Sobre Carros


Algumas Curiosidades sobre carros que talvez você nunca soube Informações úteis e curiosidades sobre carros que você precisa saber



Carro é um veículo motorizado, com quatro rodas. Esta definição é devida a todos os veículos de auto-propulsão movidos a combustão interna, que pode ser a álcool, gasolina, diesel, hidrogênio, biodísel ou qualquer outra mistura de combustível, comburente e calor que provoque esta combustão. Há ainda veículos híbridos ou veículos terrestres que se locomovam por motores elétricos ou a vapor com finalidade de transporte de passageiros ou de carga. 

Nos dias atuais os carros dispõem de motor de combustão interna, de dois ou quatro tempos, propulsionado a gasolina, diesel ou álcool.

Em todo o planeta estima-se que existam cerca de 600 milhões de passageiros (cerca de um carro para cada onze pessoas)

Segundo o código de trânsito Brasileiro, os carros são definidos como veículos de transporte de até 8 passageiros, cujo peso não exceda 3.500 kg.

O Primeiro carro a desembarcar  no brasil foi em 25 de novembro de 1891, por encomenda do então jovem inventor  Santos Dumont. Um Peugeot, com motor Daimler a gasolina de 3,5 cv e dois cilindros em v, conhecido como voiturette, pois era semelhante a uma charrete.

O primeiro carro fabricado no país foi a Romi-Isetta, produzida pelas indústrias Romi na cidade de santa bárbara d’ Oeste, no interior de São Paulo.

O Fusca é sem dúvida o carro mais popular de todos os tempos. Foi projetado por Ferdinand Porsche e imediatamente aprovado por Hitler que o utilizou para fins militares durante a II Guerra mundial.  O primeiro Fusca fabricado no país foi em 1959, tendo sua fabricação paralisada em 1986. A Nova geração do veículo mais popular do país é chamada de New Beetle e foi fabricado até 2003, quando as novas leis de emissão de gases o tornou inviável.
O Primeiro veículo a circular com cintos de segurança foi o Chevrolet Corvette em 1958 nos estados unidos. No Brasil o item só foi obrigatório em 1969. As Air Bags apareceram no mercado mundial através dos carros da General Motors e do tradicional BMW já na década de 70.  No Brasil o primeiro carro a usar injeção eletrônica foi o Gol GTI em 1989. 

Carros 1.0 Suas Vantagens e Desvantagens

Quando pensamos em comprar ou adquirir um veículo, potência, cor, condição física e financiamento são itens que devamos levar em conta e se tornam um dilema na decisão final da compra de cada veículo. 



A pergunta que não quer calar: Será mais vantajoso comprar um automóvel com motor mais potente ou optar por carros 1.0? 

Pensando em te ajudar nesta difícil decisão, trouxemos um comparativo das qualidades e defeitos dos carros 1.0



Um Motor 1.0 é mais econômico, porém têm baixo desempenho no que se refere à potência. Costumam  ter problemas para subidas íngremes,  ultrapassagens em rodovias, além de modelos com ar condicionado ter consumo equivalente a veículos com motor maior.

O Acabamento interno é infinitamente inferior a modelos 1.4, 1.6, 1.8 ou 2.0. Bancos, painéis e laterais são básicos, o que te obriga a comprar opcionais. 

Apesar disso, é incontestável que veículos 1.0 gastam muito menos, chegam a rodar até 15 km/L nas estradas e 10 Km/L nas cidades. É um ganho financeiro e ao meio ambiente muito grande. 



Carros 1.0 são estudados para transitar dentro de cidades ou pequenas distâncias. Caso seu objetivo for rodar muito em estradas ou for utilizar com frequência o Ar-condicionado, saiba que o consumo de combustível pode ser equivalente a um modelo 1.8. 
As vantagens do Modelo 1.0 são mais notadas em veículos de pequeno porte.  Carros maiores como um sedan, a economia é quase nula.

Veículos 1.0 possuem preços mais competitivos, IPVA, seguro, manutenção e consumo muito mais em conta. 
Carros 1.0 comumente são menores e não comportam bem uma família grande, além de possuírem menos espaço no porta malas e comportarem menos bagagens. 
Hoje em dia, muitos modelos 1.0 já saem de fábrica com direção hidráulica, ar condicionado e são mais confortáveis, porém não são tão econômicos como modelos anteriores. 

De qualquer maneira, avalie bem qual é o modelo ideal de carro para suas necessidades e opte por aquele que melhor atende-lo, seja pela economia gerada por seu motor, conforto ou acessórios.

História e Curiosidades sobre o carro Fiat uno

Nascido na Itália há cerca de 30 anos, o carro Fiat uno, protótipo modelo que teria a responsabilidade de substituir o super popular Fiat 147. 



As linhas do carro Fiat uno eram mais arredondadas e aerodinâmicas . No interior,  destaque para os  conjuntos de comandos próximos ao volante, e o cinzeiro corrediço e de fácil remoção ( para limpeza ou para os que não querem que se fume no carro). Os instrumentos incluíam um sistema de verificação que apontava defeitos ou irregularidades em diversas funções. O porta-malas trazia o estepe e podia ser ampliado de 225 para 250 litros ao se alterar a inclinação do encosto do banco traseiro.



Era um carro de conceito simples e moderno, com motor transversal, tração dianteira e suspensão McPherson com mola helicoidal à frente. Na traseira era usado eixo de torção, também com mola helicoidal, em vez do sistema McPherson com feixe de molas semielípticas do 127.



O Uno Mille, mais simples e com recursos básicos, inaugurou a categoria que hoje é conhecida como "carros populares". O sucesso foi tanto, que se tornou o modelo mais vendido da Fiat. Desde então, o Mille sofre constantes atualizações e redesenhos para se manter alinhado às tendências de mercado, mas sem perder a essência vitoriosa.



Em 1985, nascia o Uno Turbo i.e.,  modelo que o motor de 1.299 cm³ (mais tarde 1.301 cm³) recebia turbo compressor e injeção eletrônica para produzir 105 cv e 14,9 m.kgf, o bastante para alcançar a velocidade máxima de 200 km/h.  Para ele, o primeiro Fiat a gasolina com turbo, foram oferecidos requintes como painel de instrumentos digital, teto solar e freios a disco nas quatro rodas. Em junho aparecia o motor Fire (nome que na verdade era sigla para motor com produção totalmente automatizada), com 999 cm³, comando no cabeçote, 45 cv e 8,2 m.kgf.

Em 2010, a Fiat apresenta o Novo Uno, totalmente diferente dos modelos  conhecidos  até então. 


Outras Curiosidades

O Uno tem coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx) de 0,34. Isso é um número muito bom ainda para os dias de hoje (o projeto teve início em 1979). A título de comparação, o Corsa (1994) tem 0,35, o Gol Geração II tem 0,34, o Gol Geração I tem 0,45, o Fusca tem 0,50 e o Palio tem 0,33. Prova que formas arredondadas não implicam em um melhor coeficiente necessariamente.
A Fiat tinha receio de vender o Uno em países de língua inglesa, pois o nome do carro poderia ter dupla interpretação ("UNO" seria pronunciado "iu-nou"), sendo entendido como "you know" (você sabe). 

O Uno brasileiro era muitíssimo bem recebido na Itália. O nosso modelo tinha porta-malas maior (já que o estepe é na frente) e era mais estável e mais durável que o modelo italiano. Tudo isso devido à suspensão traseira herdada do 147 e preparada para as nossas estradas.

Novo Fusca, O Renascimento do 'Carro do Povo'


Fusca “O Carro do povo”, um dos automotores  mais populares de toda a história da humanidade. Conheça sua história e aprenda um pouco sobre a sua nova geração.



Escarabajo, Huevito, Maggiolino, Bug, Coccinelle e Beetle são apenas alguns dos sinônimos utilizados para nomear o Fusca. Apesar do bom nome, sua história está ligada a um contexto distante do glamour e da simpatia deste pequeno carro.  Interessado pelo projeto o governo alemão  fez um investimento de 200 mil marcos para a fabricação de três protótipos. 


Nomeado de “volkswagem” ou carro do povo,  o Fusca saiu do papel com mais de um ano de atraso, com o nome de Volksauto-série VW-3 e testado por extensos 50 mil quilômetros. No ano de 1938, mediante o bom desempenho do veículo, várias ações foram tomadas para que a sua produção em série fosse iniciada. Pouco depois, esse importante passo na vida do Fusca acabou sendo interrompido pela deflagração da Segunda Guerra Mundial.




Já no pós-Segunda Guerra, o veículo ultrapassou a casa dos 25 mil exemplares e lançou a sua primeira versão conversível. Os holandeses logo perceberam a ideia e entraram na história do veículo como o seu primeiro importador. Na década de 1950, os norte-americanos trataram de popularizar o modelo pelas Américas.



Em 23 de março de 1953, a primeira filial da Volkswagen foi instalada no Brasil com a missão de popularizar o Fusca em nossas terras. Nas décadas seguintes, esse lendário automóvel viveu as oscilações que o colocaram entre o estrelato e o declínio. Chegou a ser tema de um filme de Walt Disney, foi ameaçado pela concorrência de modelos mais arrojados e voltou a ser produzido sob os pedidos de um presidente da República. Em 2003, uma festa de despedida marcou a fabricação de seu último exemplar.

Cidade do Fusca

Localizada a 220 quilômetros de São Paulo, o município paulista de Cunha  é conhecido pelos inúmeros Fuscas que podem ser vistos por suas ruas e estradas rurais. Estima-se que em Cunha há aproximadamente 2,8 mil veículos Fusca, o que faz da cidade a maior em concentração per capita do Brasil. 



Em Cunha há oficinas especializadas no automóvel e comércios voltados para peças de reposição. Afinal, esse veículo de origem alemã já faz parte da cultura dos moradores de Cunha que não vivem sem o Fusca que, durante muitos anos, figurou como paixão nacional no coração do povo brasileiro.



Historiador lança livro sobre a história do Fusca


O historiador holandês Paul Schilperoord questiona em seu recém-lançado livro Ware Verhaal van de Kever (A Verdadeira História do Fusca) o nome do criador desse automóvel.  De acordo com ele, a criação não é de Ferdinand Porsche, mas sim do engenheiro e jornalista húngaro, Josef Ganz.



Uma pequena indústria alemã teria fabricado uma versão do modelo, mas Ganz não conseguiu apoio financeiro para produzir em grande série o carro, inicialmente denominado Maikäfer, na Alemanha, cujo apelido era Käfer, que significa besouro. Publicou artigos propondo uma revolução no design automotivo, além de criticar os carros da época. 



Isso desagradou os grandes fabricantes e o judeu Ganz acabou preso pela Gestapo, devido acusação forjada de chantagem. Livre, ele se mudou para a Suíça, onde novamente tentou fabricar seu carro, mas não conseguiu.

Segundo as pesquisas do historiador holandês, o projeto do Fusca foi roubado pelo governo suíço e chegou às mãos de Adolf Hitler, que o encaminhou a Porsche, sem revelar a identidade do autor. Ganz tentou provar na justiça a autoria do projeto do Fusca, no entanto, não obteve sucesso e passou a residir na Austrália, onde faleceu pobre.

O Novo Fusca


De olhos fechados, basta tocar nas curvas da lataria do carro para perceber os contornos semelhantes ao modelo do passado. Uma boa dose de nostalgia convive com o dono do veículo nas duas primeiras semanas e todas as vezes que um novato (amigo ou colega de trabalho) entra a bordo. Uau! Esse New Beetle (Opa! Beetle não, Fusca) é demais. O charme dos faróis redondos bi-xenônio é completado com o jogo de luzes diurnas, são 15 leds colocados ao longo da borda externa do farol. A rodagem no quesito estilo é essencial. Aro 17 polegadas e 18 (escolha esse modelo). ABS com controle de estabilidade são de série. O porta-malas comporta 310 litros.

Medidas e força

O Fusca é maior que o New Beetle com 4.278 mm de comprimento (mais 152 mm). Medida que permitiu a extensão do teto dando uma aparência mais esportiva. O motor TSI 2.0 de 200 cv posicionado na dianteira tem torque máximo de 280 Nm atingido a partir de 1.700 rpm e na saída do escapamento ronca que é uma beleza. O câmbio DSG de dupla embreagem ajuda (e como) para o alcance da máxima de 223 km/h. Vai acelerar? 0 a 100 km/h em 7,5 segundos.

Direção prazerosa

A andada é suave com suspensão dianteira tipo MacPherson e molas helicoidais. Na traseira, um conjunto mais leve, segundo a Volks, foi desenvolvida para contribuir com o comportamento dinâmico, que é no chão por causa do bloqueio diferencial XDS.

Opcionais


Faróis bi-xenônio e luzes diurnas com LEDs
Teto solar panorâmico
Radio e sistema de navegação
Sistema de som Fender
Keyless Access
ParkPilot – sensores de aproximação de obstáculos dianteiros e traseiros
Revestimento de couro e bancos esportivos

Fusca, 20 anos do relançamento do clássico que aproximou Gerações, saiba o que mudou neste tempo!

Passado e Futuro se encontram nas Gerações do Fusca desde o relançamento em 1993 com a versão 2013 do clássico mais amado de todos os tempos. 

Com a ideia de combater o desemprego e estimular a indústria de automóveis no Brasil, produzindo carros populares e acessíveis ao povo, o então presidente da República, Itamar Franco, pediu para que a Volkswagen voltasse a produzir o Fusca, modelo que havia deixado de ser produzido no Brasil em 1986. Após o pedido do presidente, foram oito meses preparando a linha de montagem da Volkswagen para a volta do Besouro, com investimentos de US$ 30 milhões. Em 23 de agosto de 1993, o VW Fusca foi relançado, já como modelo 1994, trazendo 800 novos empregos diretos, 24 mil indiretos. O Fusca 94 era basicamente o mesmo de 1986, mas agregou alguns itens como vidros laminados, catalisador, barras estabilizadoras na frente e na traseira, pneus radiais, freio dianteiro a disco, reforço estrutural e cinto de segurança de três pontos. 



O processo produtivo também era diferente do último Fusca, tendo uma linha de montagem mais automatizada. Ao ser lançado, o fenômeno Fusca é reconhecido mais uma vez, com uma lista de espera de compra com 13 mil inscritos. O Fusca foi fabricado no Brasil até 1996. Já no México, a velho Fusca só deixou a linha de montagem, em Puebla, em 2003, quando já dividia espaço nas concessionárias com seu sucesso, o New Beetle, que havia sido apresentado pela Volkswagen no Salão de Detroit de 1999.



Encontrado em quase qualquer lugar do mundo, o besouro fez história em sua primeira geração com mais de 22 milhões produzidos, sendo mais de 3 milhões só em solo brasileiro. Hoje esse inseto irresistível está de volta, na pele de um esportivo, mas guardando muitos detalhes daquele velho conhecido de nossos pais e avós.

Não vamos comentar a origem do Fusca, de pelo conhecimento de todos, mas apenas as diferenças entre os modelos vendidos aqui em 1993 e agora em 2013. Os 20 anos que separam os dois modelos são na realidade mais de 70 anos de concepção. O Fusca 1600 1993 foi resgatado pelo então presidente Itamar Franco, mas a produção durou apenas três anos, fazendo a felicidade de saudosistas, colecionadores e muitos consumidores que desejam provar aquilo que seus pais ou avós tinham conhecido muitos anos antes.



O Fusca 2.0 TSI é mais uma afirmação de imagem da Volkswagen, que apesar de engenharia avançada e do gigantismo financeiro, continua relembrando os clássicos que a tornaram o que é hoje em dia. Ele superou o “new age” Beetle dos anos 90 – a mesma época em que brasileiros e mexicanos ainda podiam comprar o verdadeiro besouro, em estado puro, honesto em sua proposta – tornando-se de fato o sucessor do besouro original.



Nos bons anos 90, o Fusca 1600 “Itamar” chegou para ser acessível ao consumidor de baixo poder aquisitivo, mas logo se percebeu que a concorrência mais moderna seria implacável com o clássico, que acabou sendo descontinuado novamente. Em relação ao Fusca de 1986, o último da série desde 1959, o modelo relançado ganhava apenas catalisador e alternador. Na época do lançamento custava CR$ 700.000 e no fim da sobrevida saía por R$ 8.700. Hoje em dia, um modelo usado dificilmente é encontrado abaixo desse valor.



Feito no México, último país que deu adeus ao Fusca da primeira geração, o Fusca 2.0 TSI ressurgiu como uma proposta definitiva para resgatar o clássico. Deu certo, por lá, versões que remetem aos anos 50, 60 e 70 foram lançadas, detalhes e acessórios inspirados no passado estão disponíveis como opcionais. Aliás, embora Beetle por lá (como sempre foi), o Fusca das versões mais baratas são exatamente os mais nostálgicos. Para nós, ficou um esportivo para poucos e com pegada que não era a proposta original do modelo clássico. Aqui, os R$ 77.890 estão bem distantes do antigo popular da era Itamar. O modelo atual promete muito se as versões “normais” vendidas lá fora chegarem ao Brasil.



O Fusca 1600 1993 tinha motor boxer 1.6 refrigerado a ar com dois carburadores e catalisador. Na traseira, como sempre, ele entregava 58,7 cv e 11,9 kgfm (números com álcool). A caixa de transmissão manual era de quatro marchas. O Fusca 2.0 TSI tem 200 cv e 28,5 kgfm (somente a gasolina), podendo ter transmissão manual ou DSG, ambas com seis marchas. De 0 a 100 km/h, o besouro clássico precisava de pouco mais de 14 segundos, tendo máxima em torno de 142 km/h. Já o esportivo mexicano precisa de 7,5 segundos para fazer o mesmo e tem máxima de 225 km/h (manual).



Feito com carroceria sobre chassi, o Fusca 1600 não exigia a mesma soldagem que os carros modernos e foi feito na época com peças compradas de fornecedores, que haviam adquirido o ferramental quando a fábrica da Anchieta deixou de fazer o modelo em 1986. Suspensões com eixo de torção e facão, amortecedores e uma estrutura rústica, mas robusta, faziam o clássico ir onde muitos desistiam logo no começo. O espaço interno era reduzido e a visibilidade claustrofóbica. Não absorvia como se deve as irregularidades, mas era honesto como transporte básico para muitos. Hoje é diversão para muitos colecionadores e entusiastas, mas ainda se presta à sua proposta original no dia a dia de muita gente.



O Fusca 2.0 TSI tem carroceria moderna, utilizando-se da plataforma do Golf anterior (VI), adotando suspensão traseira multilink (agora em todas as versões no exterior) e um ressonador no escapamento, criado pela Volkswagen para fazer ouvir o motor dianteiro no compartimento traseiro. A impressão é real e já foi conferido pelo NA. Ele tem pegada esportiva e pede para ser acelerado. A visibilidade melhorou muito, mas ainda mantém aquele clima de privacidade interior, algo apreciado pelos amantes do passado… Peca por não oferecer opções mais baratas e ainda mais nostálgicas. Afinal, o Fusca não é aquele estrangeiro que chegou ao Brasil com a fama apenas lá fora.

Extremamente básico, o Fusca 1600 1993 não conheceu ar condicionado, direção hidráulica, trio elétrico ou itens mais importantes, tais como airbag duplo e freios ABS. Era simples e funcional, embora os últimos exemplares tenham sido indevidamente personalizados com detalhes de outros modelos da Volkswagen, que nada tinham a ver com a proposta do carro. A Série Ouro serviu de despedida, mas sem os penduricalhos adicionados, seria bem mais apreciada. Ele tinha rodas de aço aro 15 com pneus diagonais 165, pesava 980 kg e já tinha freio a disco dianteiro…

O Fusca 2.0 TSI vem com tudo e mais alguma coisa em seus mais de 1.340 kg. Quatro airbags, ESP, XDS, multimídia com navegador GPS, sistema de som Fender com subwoofer, teto solar panorâmico, mostradores adicionais sobre o painel, rodas de liga leve aro 18 com pneus 235/45 R18, volante esportivo multifuncional, entrada/partida sem chave, spoiler traseiro, ar condicionado, trio elétrico, pedais de alumínio, discos nas quatro rodas, faróis bi-xenon com LEDs e bancos em couro, são alguns dos itens que podem ser encontrados no esportivo clássico.

Enfim, duas gerações bem diferentes na vida do Volkswagen Fusca. O primeiro é um ícone no Brasil e também no mercado mundial. O outro chegou agora, mas já mostra sua presença marcante em muitos mercados, embora não com a mesma pretensão do primeiro modelo. Daqui para frente, podemos esperar mais releituras do clássico besouro, que havia nascido para ser o carro do povo alemão e se tornou o automóvel de muitos povos pelo mundo.