sábado, 24 de agosto de 2013

Venda de carros de luxo a taxas Zero cresce no Brasil

A carteira de carros de luxo cresceu a uma média de 30% nos últimos três anos.

O que há alguns anos era uma realidade somente para o mercado de carros populares já é termo obrigatório nas concessionárias de carros de luxo. A redução na taxa básica de juros nos últimos anos somada a uma maior oferta de mercado, tornou mais atrativo o financiamento para marcas de luxo como Audi e Land Rover.

Taxa zero, alongamento de prazos para 60 meses, entrada facilitada e carência para pagamento de parcelas agora é realidade em bancos e concessionárias de carros de luxo.  Atualmente o percentual de vendas financiadas de carros de luxo ultrapassa 50% do total. 

Compradores interessados na compra de carros de luxo  geralmente usam o crédito para migrar um degrau mais alto do luxo.  Um Toyota Corolla, que custa cerca de R$ 60 mil, pode ser porta de entrada para a compra de uma BMW que chega a custar mais de R$ 90 mil.

Fabricantes de carros de luxo buscam se adequar a este mercado e começam a criar alternativas para o financiamento de seus modelos top de linha. A Audi,
Jaguar e tantas outras possuem como braços de financiamentos grandes bancos nacionais.  Um dos principais a atuar neste seguimento é o Banco Alfa.  No Citibank, 20% das concessões de crédito automotivo são realizadas para veículos com preço acima de R$ 100 mil, a maior parte delas na faixa até R$ 150 mil. "Nós liberamos até 90% do valor do veículo em até 60 vezes, sem limite máximo de valor para o financiamento, que está condicionado à capacidade de pagamento do cliente", explica Gilberto Marmol, gerente regional de vendas da Credicard Financiamentos, empresa do Grupo Citi.

A Jaguar iniciou suas operações de crédito oferecendo dois modelos de luxo no valor de R$ 300 mil à taxa zero. A volvo estuda a criação de uma financeira própria. A estratégia é reverter um quadro de desaceleração nas vendas e nem sempre significa que não haverá custo de crédito, mas serve para atrair clientes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário