sábado, 24 de agosto de 2013

História e Curiosidades sobre o carro Fiat uno

Nascido na Itália há cerca de 30 anos, o carro Fiat uno, protótipo modelo que teria a responsabilidade de substituir o super popular Fiat 147. 



As linhas do carro Fiat uno eram mais arredondadas e aerodinâmicas . No interior,  destaque para os  conjuntos de comandos próximos ao volante, e o cinzeiro corrediço e de fácil remoção ( para limpeza ou para os que não querem que se fume no carro). Os instrumentos incluíam um sistema de verificação que apontava defeitos ou irregularidades em diversas funções. O porta-malas trazia o estepe e podia ser ampliado de 225 para 250 litros ao se alterar a inclinação do encosto do banco traseiro.



Era um carro de conceito simples e moderno, com motor transversal, tração dianteira e suspensão McPherson com mola helicoidal à frente. Na traseira era usado eixo de torção, também com mola helicoidal, em vez do sistema McPherson com feixe de molas semielípticas do 127.



O Uno Mille, mais simples e com recursos básicos, inaugurou a categoria que hoje é conhecida como "carros populares". O sucesso foi tanto, que se tornou o modelo mais vendido da Fiat. Desde então, o Mille sofre constantes atualizações e redesenhos para se manter alinhado às tendências de mercado, mas sem perder a essência vitoriosa.



Em 1985, nascia o Uno Turbo i.e.,  modelo que o motor de 1.299 cm³ (mais tarde 1.301 cm³) recebia turbo compressor e injeção eletrônica para produzir 105 cv e 14,9 m.kgf, o bastante para alcançar a velocidade máxima de 200 km/h.  Para ele, o primeiro Fiat a gasolina com turbo, foram oferecidos requintes como painel de instrumentos digital, teto solar e freios a disco nas quatro rodas. Em junho aparecia o motor Fire (nome que na verdade era sigla para motor com produção totalmente automatizada), com 999 cm³, comando no cabeçote, 45 cv e 8,2 m.kgf.

Em 2010, a Fiat apresenta o Novo Uno, totalmente diferente dos modelos  conhecidos  até então. 


Outras Curiosidades

O Uno tem coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx) de 0,34. Isso é um número muito bom ainda para os dias de hoje (o projeto teve início em 1979). A título de comparação, o Corsa (1994) tem 0,35, o Gol Geração II tem 0,34, o Gol Geração I tem 0,45, o Fusca tem 0,50 e o Palio tem 0,33. Prova que formas arredondadas não implicam em um melhor coeficiente necessariamente.
A Fiat tinha receio de vender o Uno em países de língua inglesa, pois o nome do carro poderia ter dupla interpretação ("UNO" seria pronunciado "iu-nou"), sendo entendido como "you know" (você sabe). 

O Uno brasileiro era muitíssimo bem recebido na Itália. O nosso modelo tinha porta-malas maior (já que o estepe é na frente) e era mais estável e mais durável que o modelo italiano. Tudo isso devido à suspensão traseira herdada do 147 e preparada para as nossas estradas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário